Os anjos no Novo Testamento

 

As Palavras Mais Comuns Para "Anjos" no Novo Testamento

 

A palavra mais usada no Novo Testamento para "anjo" é anggelos, que é a tradução regular na Septuaginta da palavra hebraica Mala`k. Ambas significam "mensageiro".

 

Anggelos é usada umas poucas vezes no Novo Testamento para mensageiros humanos, como por exemplo os emissários de João Batista a Jesus em Lc 7,24; veja ainda Tg 2,25; Lc 9,52.

 

Na maioria esmagadora das vezes, a palavra refere-se aos mensageiros de Deus, que povoam o mundo celeste e assistem em sua presença. Anggelos é usada tanto para anjos de Deus quanto para os anjos maus.

 

Existe outro termo no Novo Testamento para se referir aos anjos, o qual Paulo emprega: "principados e potestades". Em duas ocasiões é usado em referência aos demônios (Ef 6,12; Cl 2,13) e em três outras aos anjos de Deus (Ef 3,10; Cl 1,16; 1 Pe 3,22). Em todos os casos, refere-se ao poder e à hierarquia que existe entre esses espíritos.

 

Uma outra palavra usada no Novo Testamento para anjos é pneuma, geralmente no plural (pneumata), que se traduz por espíritos. Embora o termo seja empregado geralmente para os anjos maus e decaídos (quase sempre qualificado pelo adjetivo "imundo", cf. Mt 12,43; Lc 4,36; At 8,7), é usado pelo menos uma vez para os anjos de Deus, como sendo "espíritos administradores" (Hb 1,14).

Obs: No A.T, pneuma é usado para o Espírito Santo de Deus, Gn 1,1 ...E um vento (pneuma) impetuoso pairava sobre as águas.

 

Alguns estudiosos têm sugerido que "espíritos" também se refere a anjos em outras passagens onde a palavra pneumata aparece, como por exemplo 1ª Co 14,12. Neste versículo o apóstolo Paulo aprova e incentiva o desejo dos membros da igreja por pneumata, expressão quase que universalmente traduzida como "dons espirituais", devido ao contexto.

 

Paulo, na verdade, não se refere a dons espirituais simplesmente, mas aos anjos que estavam presentes aos cultos (1ª Co 11,10). Sua tese é que existe uma relação estreita entre as manifestações sobrenaturais, o recebimento dos Carismas que estavam acontecendo na igreja de Corinto e o ministério angélico. Tais manifestações, ou parte delas, não eram produzidas somente pelo Espírito Santo, e nem também por espíritos malignos, mas por estes espíritos bons.

 

Outras passagens onde "espíritos" significa "anjos",  são 1ª Co 14,32; 1Jo 4,1-3; Ap 22,6. Embora esta sugestão seja interessante e provocativa, fica difícil ver como "espíritos" produtores de dons espirituais se encaixam no contexto de 1ª Co 14,12 e no ensino de Paulo de que os dons são dados pelo Espírito Santo.

 

O uso de pneumata em 1ª Co 14,12 (bem como nas demais passagens mencionadas acima) pode ser explicado à luz de 1 Co 12,7, onde Paulo afirma que há diferentes manifestações do Espírito Santo. Ou seja, o mesmo Espírito manifesta-se de formas diferentes através de pessoas diferentes. Paulo refere-se a estas manifestações como "espíritos". Elas equivalem aos dons e carismas espirituais. E difícil admitir que Paulo aprovaria um desejo dos cristãos de Corinto de buscar nos anjos e não no Espírito Santo os dons recebidos de Deus.

 

 

  • Anjos nos evangelhos

 

A presença e a atividade de anjos registradas nos Evangelhos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas) indicam invariavelmente a intervenção direta de Deus. Como mensageiros fiéis de Deus, que têm acesso a presença divina segundo (Lc 1,19;  12,8; Mt 10,32; Lc 15,10), a visita ou a intervenção de um deles equivale a uma manifestação divina.

 

A encarnação e o nascimento de Jesus foram marcados pela presença de anjos, indicando a participação direta de Deus no nascimento do Messias (Mt 1,20; 2,13-19; Lc 1,11; 1,26-38). Embora os evangelhos não registrem quase nenhuma participação direta dos anjos assistindo a Jesus em seu ministério (o que poderia ter ocorrido, se Jesus quisesse, Mt 26,52), os anjos acompanharam o Senhor e se rejubilaram a medida em que pecadores se arrependiam (Lc 15,10).

 

 As poucas vezes em que se manifestaram visivelmente tinham como propósito demonstrar que Ele era amado e aprovado por Deus (Mt 4,11; Lc 21,43).

  • Os anjos ainda participaram da sua ressurreição,
  • da anunciação às mulheres,
  • e da anunciação aos discípulos de que Jesus havia de voltar (Mt 28,2-5; At 1,9-11). E o próprio Jesus também mencionou varias vezes que os anjos participariam da sua segunda vinda e do Juízo final (Mt 13,4 1; 16,27; 24,3 l).

 

Embora nos evangelhos a atividade dos anjos praticamente se concentre em torno da pessoa de Jesus, ele mesmo menciona uma atividade deles relacionada aos homens: "cuidai de não desprezar um destes pequeninos, porque em verdade vos digo: seus anjos no céu estão continuamente na presença do Pai celeste” Mt 18,10.

 

Talvez a última possibilidade deva ser a preferida, já que Jesus usa regularmente pequeninos para se referir aos discípulos, cf Mt 10,42; 18,6; Mc 9,42; Lc 17,2. Qualquer que seja a interpretação, o texto possivelmente esteja afirmando que cada cristão ou criança tem seu próprio "anjo da guarda", como era crido popularmente entre os judeus na época da igreja primitiva.

 

Fazia parte desta crença que o anjo guardião poderia tomar a forma do seu protegido (cf. At 12,15). Jesus está ensinando nesta passagem que Deus envia seus anjos para assistir aos "pequeninos", e que, portanto, nós não devemos desprezar estes "pequeninos". Esse ministério angélico para com os "pequeninos" faz parte do cuidado geral que os anjos desempenham, pelo povo de Deus (cf. SI 9 1,11; Hb 1,14; Lc 16,22).

 

É importante notar que o Evangelho de João faz pouquíssimas referências à atividade dos anjos, embora, segundo João, Jesus tenha dito aos seus discípulos, no início do seu ministério, que eles veriam, os anjos subindo e descendo sobre si (Jo 1, 5 1).

 

Possivelmente esta passagem não deva ser entendida literalmente no que se refere aos anjos, mas apenas como uma alusão ao sonho de Jacó (Gn 28,12) e ao seu cumprimento na pessoa de Cristo (unindo o céu à terra). No relato de João das boas novas, os anjos só revelam a sua presença ao lado da sepultura de Jesus (Jo 20,12).

 

Estes fatos indicam que as aparições angélicas durante o período em que Jesus esteve presente fisicamente entre nós foram  todas associadas com o seu nascimento, ministério, morte e ressurreição. Era conveniente que a vinda do Filho de Deus ao mundo fosse marcada por esta atividade angelical especial mas sem apagar a imagem do Filho de Deus.

 

Os Anjos no Catecismo da Igreja Católica

332. "Desde a criação e ao longo de toda a história da salvação, os encontramos, anunciando essa salvação e servindo ao desígnio divino de sua realização: fecham o paraíso terrestre, protegem Lot, salvam Agar e seu filho, detém a mão de Abraão, a lei é comunicada por seu ministério”.

 cf. Henoc 7,53, conduzem o povo de Deus, anunciam nascimentos e vocações, assistem aos profetas, isso para não citar mais alguns exemplos. Finalmente, o Anjo Gabriel anuncia o nascimento do Precursor e o de Jesus."

329 . "Santo Agostinho fala sobre eles: “O nome de anjo indica seu ofício, não sua natureza. Se perguntar por sua natureza, te direi que é um espírito; se perguntar pelo que faz, te direi que é um anjo. Com todo seu ser, os anjos são servidores e mensageiros de Deus. Por que contemplam constantemente o rosto de meu Pai que está nos céus Mt 18,10, são agentes de suas ordens, atentos a voz de suas palavras' Sl 103,20."

336. "Desde a infância até a morte, a vida humana está rodeada de sua proteção e de sua intercessão. Cada pessoa tem a seu lado um anjo como protetor e pastor para conduzi-lo na vida. Desta terra, a vida cristã participa, pela fé, na sociedade bem-aventurada dos anjos e dos homens unida em Deus”.

 

Oração ao meu Anjo da Guarda

 

Anjo da minha Guarda, minha doce companhia, não me desampare nem de noite nem de dia, até que me entregues nos braços de Maria. Não me deixes só,que eu me perderia. Anjo de Deus, anjo de minha guarda te seguindo jamais me perderia. Anjo de Deus, anjo de minha guarda, me protege de todo mal, iluminai-me e guarde-me até o dia de minha morte, Amém.

 

Oração a São Miguel Arcanjo

São Miguel Arcanjo,
defenda-nos na batalha,
seja nosso amparo contra a perversidade e armadilhas do demônio.
Em nome de Deus, pedimos suplicantes;
e tu, Príncipe da milícia celestial,
jogue no inferno, com o divino poder,
a Satanás e aos demais espíritos malignos,
que vagam pelo mundo
para a perdição das almas.
Amém

Bênção para a Virgem para uma boa viagem

Pela intercessão de Maria,
que eu tenha uma boa viagem. Que o Senhor esteja comigo por todo o caminho e seus Anjos me acompanhem, que eles acampem em meu coração.
Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Amém

 

Aos Santos Anjos da Guarda dos Sacrários

Oh Espíritos Angélicos que habitas em nosso Tabernáculo, onde repousa a prenda adorável da Sagrada Eucaristia, defenda-o das profanações e conserva-o para o nosso amor.Deus, Pai misericordioso, que em tua providência inefável tens dignado enviar para nossa guarda teus Santos Anjos; concede a quem te suplica ser sempre defendido por sua proteção e possuir a graça de viver eternamente em sua companhia. Por nosso Senhor Jesus Cristo... Amém.

 

Petição a Deus

Deus, Pai do Céu, que com admirável sabedoria, distribuis os ministérios dos Anjos e dos homens; te pedimos que nossa vida seja protegida na terra, por quem te assistem sempre no Céu.Por nosso Senhor Jesus Cristo...Amém.